sexta-feira, 27 de julho de 2018


Eu só quero ir embora...
A gente sempre acaba sozinha no final
Promessas
Promessas
Promessas
E acabou
Se eu pular daqui ...
Se eu pular daqui tudo acaba?
Porque escrever não me acalma?
Porque você não está aqui
Promessas
Promessas
E acabou...
Não culpo voce
Nem eu mesma me aguento
Quem me dera ter essa sua sorte
De sair
Me afastar
E ponto final


Você está estragando tudo Maria
Como sempre...
Está estragando tudo

segunda-feira, 23 de julho de 2018

domingo, 22 de julho de 2018

O silêncio vem...
Como um inverno rigoroso
Eu falhei
Sua facilidade pra perdão não ajuda muito
Eu me tornei algo que eu sempre detestei
E céus
Como queria não existir mais
Eu odeio tanto a mim mesma
Eu me desprezo
Não ha poema hoje
Nem rima
Nem métrica
Minha doce fruta silvestre
Mereces bem mais do esse infante agouro
Minha doce fruta silvestre
Mereces lábios mais doces e macios do que o meu
Sinto muito...

sábado, 21 de julho de 2018

Você é o tipo de amiga que a respiração no telefone já me acalma
Eu estava desesperada
Perdida no caos
Não conseguia respirar de tanto chorar
- Oi meu amor
- Eu não sei quem eu sou
- Calma, respira comigo
- Fala comigo porque tô com uma vontade enorme de fazer besteira
- Amiga, escuta minha voz
- Eu juro que eu subo aquele viaduto e pulo no meio da Dutra, espero o caminhão passar e pulo
- Hey, meu anjo, o que seria da minha vida sem você?
- Eu não aguento mais ser assim, eu juro que não aguento
- Não precisa aguentar, eu aguento hoje por você, tudo bem?
- Eu não quero mais viver
- Só aguenta mais um dia, só mais um dia
- Tá bem... Só mais um dia, e depois mais um
- Isso e depois mais um

Esse é o último dia
Que eu me esforço
Pra respirar

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Airam sabia coisas demais, via demais, os deuses confiavam muitos segredos a ela e ela entendia como era saber sem querer se envolver.
Eles haviam avisado a ela sobre algo e segundos depois veio a acontecer, isso assustava a índia, deixava seus olhos musgos acidentados, ela não queria saber tanto.
Estava agora
Sentada em sua pedra
Os pés exaustos tocavam a terra úmida e fria.
- Nao vou interferir, por mais que queira, colocar minhas mãos no curso do rio não muda seu percurso. Porque o destino assim como o rio são maiores e mais fortes do que eu. Não sei porque Tupã insiste em me soprar coisas ao ouvido, é como o vento que antecede a tempestade. De nada serve a não ser espalhar tudo, desproteger tudo, para que as coisas sejam destruídas pela chuva. Não vou interferir, e vocês não deveriam me contar nada.

Querida Gleicy com y no final

Zach Hurd certamente pensa em ti quando toca seu violão, porque as melodias que saem dele, são você em pauta.
Se fecho os olhos, vejo meus dedos brincando na sua franja
Meus olhos contornando seu sorriso
E se tudo esta escuro, seu sorriso me ilumina
Seus olhos jabuticaba, doce como uma manhã de primavera
Daquelas que vem depois de um inverno severo, e você ainda sente a brisa fresca, gelada, mas o aroma da vida nova aquece o coração.
Ah minha grande doçura...
Você gosta mesmo do meu cheiro assim?
Gosta mesmo de deitar no meu ombro em meio ao caos e dormir?
São os girassóis que se apaixonam por ti
Porque você, minha linda
É a flor mais singela e forte que já conheci
A vontade de ir embora é cada vez maior...
Não porque não te ame
Ao contrário
Porque amo você demais pra te ver infeliz assim...
Da última vez que você ficou assim... Aconteceu algo que me faz sangrar muito ainda (mesmo que não saiba, ainda durmo chorando as vezes, quando durmo...)
Talvez seja só o instinto de fugir por medo
Talvez seja egoismo
Sei lá
Se eu não consigo nem saber se estamos bem ou não...
Então esse não é mais meu lugar
Não é?


Céus... O dia chegou e a noite não me trouxe o sono tão desejado...
É sempre estranho
Me perco em meio a pensamentos e angústias
É estranho demais não ver a hora passar...
Eu não me importo, sabe?
Se me machucam
Se eu não estou bem
Eu não me importo
Só... Só me dói me esforçar tanto e ainda não ser suficiente...
Você chama de fase...
Um balde de gelo nas minhas costas
Justo hoje que acordei achando que estávamos tão bem...
Justo essa semana que planejei cada segundo dela pra te fazer sorrir (porque sabia o quanto ela seria difícil pra ti)
Me perdoa ter dormido...
Eu não sumi porque quis...
Foi injusto, talvez... Afinal eu passei os dias inteiros aqui, as vezes que estive distante ou estava passando mal, ou dormi sem querer ou estava correndo atrás de algo pra ti, pra te surpreender...
Eu sinto falta da época em que era simples te fazer feliz.
Sinto falta daquele olhar encantado só por ser eu ali
Estou exausta desse sobrenatural ridiculo
Eu só...
Sinto falta de mim...
De nós
De me sentir transbordando...

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Isso não é meu manual de instruções
- Você achou mesmo que seria capaz?
A água pode se dobrar em muitas partes
Mas nunca está no mesmo lugar, por mais que ela se sinta inteira após a bifurcação, ela não está inteira. Pobre água, acreditou ser capaz de algo que nunca vai saber lidar ou dar conta...
A água recebe pedras da mesma pessoa que tenta se banhar nela
E a água se sente culpada...
- Isso se chama projeção Sophia
Que seja...
A água sempre se adaptou bem as correntezas, ao ir e vir do vento...
Quem nasce rio nunca pode ser mar...
Tolice a minha ter acreditado que poderia fazer esse deserto que ela é se tornar menos árido
Só sinto que não importa o quanto eu me esforce, esse solo me ingere, suga, mata sua sede, mas nunca se sente saciado...
- Esta tudo bem
Não, não está.

quinta-feira, 12 de julho de 2018

O que você disse Sophia?
- Eu odeio ser tratada como um cristal frágil
Talvez se você não se quebrasse tanto...
- É... Só... Que sinto falta da espontaneidade
De quem Sophia?
- Já fiquei tão esgotada...
Com o que criança?
- Eu odeio ser tratada como um cristal frágil
Não era assim antes?
- Quase não lembro do antes, mas no que lembro, sei... Não existia medo de mágoas
Talvez depois da cura o medo passe, você não teve culpa
- É... Só que... Sinto falta da espontaneidade. Quase não lembro do antes... Mas no que lembro, sei. Nao existia medo de mágoas.

Você é uma ridícula, Maria

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Ainda pequena, achava engraçado a forma que as pessoas andavam no frio.
Carrego comigo, mesmo adulta, o riso contido quando as vejo.
Passos curtos, tudo encolhida, braços cruzados e a cabeça feita tartaruga, o pescoço... some
Me lembro muito bem da frase da minha mãe "Se você deixar o frio te dominar ai você vai sentir mais frio"
Aqui estou eu novamente
O céu não é o mesmo da tempestade
Dessa vez eu não sei o que virá depois do vento forte...
Olho pra rua e posso me ver pequena, soltando os braços e tentando encarar o frio de frente como minha mãe me ensinou...
Quisera eu conseguir não deixar dominar o frio que brota aqui dentro...
Talvez seja só uma questão de enganar a ele, não é?
E quem me engana pra eu ficar bem?
...
Se eu deixar esse frio me dominar, vai ficar mais frio ainda


Do que vale todo o potencial que possuo
Se ao final da noite
Não posso olhar no espelho sem a culpa
O peso
De
Saber
Que sou um nada

terça-feira, 10 de julho de 2018

A vida, meu caro
É o acaso mais aleatório que tive o desprazer de chamar de "rotina".
Disse que ia dormir às 22h
Já são quase 5h e nada do sono vir...
A chuva veio e foi
O frio aumentou em um extremo absurdo e já se foi também
A angústia permanece
A dor lateja
O que eu estou fazendo com a minha vida?
...

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Só queria conseguir tirar essa merda de alargador

O céu estava tão escuro
Tão acolhedor
Se enrolou no seu edredom roxo surrado
Abriu com cuidado a porta da sacada
Sentou
O frio a fazia se sentir viva
Que sensação horrível essa...
Esperou a chuva vir
So que...
A tempestade que veio
Não surgiu nos céus
Surgiu ali mesmo
Em seus olhos
Com lapsos de soluços e falta de ar
Tão sozinha, pequena
Tao sozinha
O que a fez acreditar que seria diferente?


Em um lapso de dor
Te sinto distante
Do outro lado da minha vida
Sou eu que te empurro
E confesso as vezes desejar nunca ter puxado...
Porque eu minto
Ainda dói
Ainda sufoca
E as vezes ainda é vazio
Mas na luta por não te perder
Eu não me importo
De nunca mais me encontrar


domingo, 8 de julho de 2018

Se tocam, mas não se vêem
Se olham, mas não se enchergam
É apenas mais uma música
E em meio a toda essa paz
Ainda há caos
Olho pra ele
Aqui
Bem a minha frente
Ele sorri pra mim
E eu aceno pra ele
Não me causa mais medo
Não te toco
Mas ainda te sinto
Não preciso nem te olhar pra te enchergar
o cheiro forte de café me causa tontura
Mas ele não é tão ruim quando sai dos teus lábios
O vermelho da multidão me assusta
Mas é tão belo quando brota de teus olhos
Os gritos e barulhos me atordoam
Mas é tão suave quando é nosso
Se isso não é amor
Eu não sei mais o que o é

quinta-feira, 5 de julho de 2018

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Por favor
Me deixem morrer
Você não tinha o direito de segurar minhas mãos
Me levar pra voar
Me ensinar a gostar disso
E depois soltar minhas mãos
Voar para me resgatar no meio da queda não a torna menos dolorida
Eu estou sendo injusta
Me perdoa...
Eu só estou atordoada com esses pensamentos e essa dor que só aumenta

terça-feira, 3 de julho de 2018

Não desce, e também não sai
Olho os videos, e não me reconheço neles
As fotos... sei que sou eu ali, mas não me sinto mais lá
Só o constante vazio
Quanto mais dele nado pra sair
Mais me afogo
e...
Quem me dera realmente me afogar...

o olhar
perdido

me perco em mim mesma
desperdiço

A rima mal elaborada
A risada mal feita

Que esmero tem a letra
Se mesmo que a molhe, é como tudo, seca.
E não é por falta de choro que não as alaguei
Até acho que extrapolei
Só que o berro não se vai
Te coloquei em um barco, e por mais que o vento sopre
Ele não vai
VAI
SAI DAQUI
mesmo que em meu intimo eu não queira também ir
Do que adiantou minhas inseguranças eu falar?
Do que adiantou eu ousar me entregar
Nem culpa consegues sentir
Nem deves
Eu sou a culpada
Transforme a ti como meu ar
e aqui estou eu
tentando parar de respirar.
Eu quero poder ser capaz de dizer que tudo vai ficar bem
Mas eu sinceramente
Não sei

Não é uma boa hora pra surtos
Respira
Maria
Prende a respiração
Isso
Agora não solte mais
- Acreditou mesmo que o amor te salvaria, Sophia?
- Não é uma boa hora pra cantar essa música
- Qual música seria então?
- Eu preciso de silêncio
- Diga isso pra sua cabeça
- Não é uma boa hora pra cantar essa música
- Estas repetitiva de novo Sophia
- Eu preciso de silêncio
E eu que já havia me esquecido como era sentir essa dor
Estou aqui
Refazendo os muros
Que nunca deveriam ter sido derrubados
Eu que já não sabia quantos níveis de dor o corpo aguenta
Sigo sem ânimo
Inerte
Atônica
Quando foi que respirar se tornou um processo tão necessário e exaustivo?
E aos poucos me fecho
E não desejo tão cedo
Desse porto seguro sair

Eu não queria ser assim

E se a singelez da margarida for melhor que a sedução da rosa? (Frase Rodrigo; Desenho Maria Luiza

E se a singelez da margarida for melhor que a sedução da rosa? (Frase Rodrigo; Desenho Maria Luiza
Clique na imagem e conheça meu diário de sonhos