quinta-feira, 26 de setembro de 2019

Entrou no ônibus fugindo da chuva
O guarda-chuva quebrado não fechava direito
Tropeçou enquanto pegava o dinheiro desajeitadamente no bolso interno do moletom surrado
Passou a catraca
"Ok Maria, tem um banco lá atrás, foca e vai"
Uma curva repentina e ela cambaleia em cima de alguém.
Uma moça de cabelo curto, com cheiro de lavanda
- Me perdoa
- Tudo bem, um dia você vai acabar caindo de verdade (sorriso)
- Céus, eu caio até parada (o rosto rubro)
- Qual seu nome?
- Maria
- Só Maria?
- Não, Luísa
- Maria Luísa?
- Isso
- O nome é tão bonito quanto você
- Ah, nossa (risada tímida esterica)
A moça se levantou
- Pode sentar, eu desço aqui
- E o seu?
- Se você não cair na próxima vez que nos vermos, eu te falo.
Deu um meio sorriso e desceu.

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

A música alta no fone
Não era alta o suficiente para abafar as vozes ali dentro
A chuva lá fora
Não era fria o suficiente para vencer o frio que sentia ali dentro
Como as pessoas conseguem falar tanto?
É tanta saliva sem onde repousar
O choro pertinente, vinha
Só que não fluía
Quase cantava
Mas estava muda
Pobre menina das fitas
Ainda estava viva...

segunda-feira, 26 de agosto de 2019

Eu já quis morrer tantas vezes
Que nem eu acredito ser capaz mais de conseguir
Queria tentar e conseguir
Queria tanto ter o controle sobre essas coisas
Queria...

Sem chão
Sem ar
Eu não quero mais sentir essa dor
Quero um lugar seguro pra gente
Quero a gente
Sei que estamos tentando muito além do que somos capazes
Não quero nos perder
Não quero ...
Não posso ...

terça-feira, 20 de agosto de 2019

Não é sobre: o caos;
Vazio;
Eu;
Você.
Ou qualquer motivo que eu tenha
É sobre o frio
O cinza
As pessoas andando rápido o bastante pra não correr
O vento cortando os lábios como um amante bruto
Os olhos marejados prevendo a tristeza eminente
Os grafites chamuscado de uma rebeldia inexistente
O ar
A falta de um mar
A chuva que corre o bastante pra não ser forte
O nariz vermelho de ressaca emocional
O caos
Vazio
Eu
Você...

segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Quinta fe

Um presente do acaso
Te ver
E eu que nunca gostei de surpresas
Me peguei sorrindo no espelho embaralhado de um banheiro caóticamente sujo e lotado
A água fria no meu rosto era pra me fazer respirar
Tentar resgatar todo o fôlego que você roubou de mim
A dança com os olhares
A troca de sorrisos
O toque exacerbado, ainda que distante
O não com muito desejo de sim
Um presente do acaso
Te ver
E por uns instantes nem parecíamos estar mais ali
E eu que nunca gostei de surpresas me vejo aqui
Sorrindo por ti.

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

As vezes eu sinto que falar que te amo não é mais o suficiente pra demonstrar isso
Você vai tão além da minha felicidade
Tão além da minha existência
Cuida de mim de uma forma tão linda
Doce
Gentil
Você é tão lindo
Meu coração sorri quando pensa em ti
Seu beijo
Seu toque
Todo faz em mim repousar uma paz
Uma paz tão enorme que me faz voar em meio a guerra e o caos
Ter você aqui
Faz tudo valer a pena
Me perdoa meu bem
Se não consigo mais demonstrar ou retribuir tudo o que você é pra mim
Só quero que saiba
Que amo você
Um amor tão real que se eu esticar os dedos posso tocar nele
Eu amo você
Demais
Espero chegar o dia onde você não se machuque mais só para me ver bem
Onde você não precise se anular tanto
Onde nós possamos ser
Nós.

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Esperei o dia amanhecer, não vi
Mas todo caos me leva até você, tão vil
Nao nos mate dentro de ti
Não se mate dentro de mim
Eu não gosto de sentir aqui vazio
Onde acho cinzas pra nos reviver?
De onde tiro força pra nos refazer?
Será que ainda temos chance em nós?
Em nós, nos perdemos
Em nós, nos prendemos
É como a areia que se apaixona pela tempestade
Que nela só cacos de vidro sabe criar
E ninguém sabe se a areia é apaixonada pela beleza do cristal
Ou viciada na dor que a alma dela está a cortar
Nao nos mate dentro de ti
Não se mate dentro de mim
Eu não gosto de sentir aqui vazio.

terça-feira, 2 de julho de 2019

Depois da primeira mentira
Toda verdade vira dúvida
Toda dúvida, dor
E depois de tanta dor
Desejos
Um único desejo
Céus... Que isso acabe logo
Que acabe comigo de uma vez
Mas não...
Não acaba
Essa porra nunca acaba

terça-feira, 18 de junho de 2019

Químicas são raras
Cada vez mais escassas
E eu que sempre temi nunca mais sentir nada
Vejo agora o quanto eu sentia antes e por saudade
Falta
Vazio
Aceito qualquer migalhas que me oferecem
Químicas são raras
Pessoas assim são raras
Eu que sempre colecionei pessoas
Me vejo abrindo mão uma a uma
Porque ser eu mesma as faz querer ir
Químicas são raras
Pessoas assim são raras
Eu que sempre colecionei pessoas
Me vejo presa em uma galeria
Exposta
Ao caótico vazio sempre existente aqui
Em mim
Químicas são raras
Pessoas assim são raras
E eu aqui, doando a quem quiser
A pouca raridade que restou em mim

segunda-feira, 17 de junho de 2019

Noite em claro

A música, os sons, as luzes, e ela ao centro de tudo
Das atenções
Olhares
Desejos
Sabia todas as coreografias de cor, tinha um sorriso estonteante e por muitos instantes me peguei perdia nela, curiosa sobre o que ela era.
Mas então, por detrás de todo aquela volúpia incontrolável, eu vi você
Dançando de olhos fechados
Me senti embriagada, e involuntariamente eu não conseguia parar de te olhar
Você deve ter ouvido meu corpo berrar por você
Porque eu sei que você me notou também
(Só não sabia se era porque já estava estranho eu te olhar tanto ou porque era você quem não parava de me olhar também)
Blusa preta, jeans baixo, cabelo lhe pendendo pela cintura, céus como eu queria minhas mãos brincando com ela, assim como seu cabelo
Dei por mim cada vez mais próxima
Quase me amarrando ao chão, eu não conseguia mais controlar a atração que estava sentindo por ti
Era extracorpórea
Eu juro por Freya, não me lembro da última vez que me senti assim.
E sobre sentir, me senti constrangida quando nosso olhar durou mais que dez segundos
Encostei na pilastra tentando me distrair com as luzes, estava tocando uma música que eu adorava, a mixagem estava boa...
- Oi, qual seu nome?
- Ah, Oi! (Você falou comigo, não creio, não creio) Maria
- Você tá sozinha?
- Agora? To sim
- Eu vi você me olhando, me beija
Eu não esperava que ficaria dias pensando nesses beijos
E aqui estou eu, sentada no ônibus não conseguindo tirar você da minha cabeça
Sua língua macia contornando meus lábios, as pontas dos seus dedos passando pela minha coluna, desenhando meu ombro, firmando na minha cintura e me puxando pra ti.
A nossa conversa rápida sobre o seu emprego e sobre nossas vidas
Foi tão bom dançar e beijar você
Os deuses sabem o quanto eu fiquei viciada em ti
Seu cheiro bom
Sua respiração ofegante
E seu riso aberto e delicioso
Foi uma realidade tão boa que eu desejei todas essas noites, poder voltar pra você e não te soltar nunca mais.

sexta-feira, 31 de maio de 2019

Sadomasoquismo

Faz-me sentir bem esses poemas de dor
Mesmo quando a dor já não mais tina
Por simplesmente acolher-me em tormentos
Mas quando agora, por exemplo, em paz
São só belos
E meus sorriso, no corpo todo, se faz.

quinta-feira, 23 de maio de 2019

Existe dor que quase mata, mas não mata
Se não fosse o quase...
Não seria dor
Seria paz,
Felicidade.

sábado, 18 de maio de 2019

Seria muito clichê dizer o quanto meu estômago revira
Meu coração acelera
E meus lábios se estendem em um sorriso enorme quando penso em ti?
Que saudade sinto das nossas horas jogadas fora com conversas bestas
Ou como esse desejo forte que você ainda causa em mim me tira do meu eixo
E como eu adoro não ter eixo algum
Seria isso tudo clichê?
E quem sabe ao menos
Espero sua pele a minha tocar mais uma vez
De certo que se apenas mais uma vez
Meus verdes se afogassem em seus tantos castanhos
Eu nunca mais me permitirei sair daí
Porque de mim, minha Blue
Aqui, bem em mim
Você sempre teve morada

quarta-feira, 15 de maio de 2019

Eu deveria estar feliz com meu aniversário chegando
Mas daqui um mês completa um ano
Que meu cristal mais precioso se precipitou
Caiu
Quebrou
E diferente de todas as outras vezes
Eu nunca consegui lidar
Colar
Esquecer
Aperfeiçoar
E aí você me dirá "isso é problema seu, conteúdo seu"
E eu sei
Só achei que amar era ajudar as pessoas a carregarem a si mesmas quando elas não se aguentam mais...
Ainda dói
Muito

Você sempre faz isso
Isso de me deixar assim
Faz eu me sentir um monstro por não demonstrar o que sinto
Por não me permitir sentir
E quando me permito
Você me desaba
Tira os pés sob meu chão
Me leva a tona
Por que me deixas ir por fim?
Ou não mais deixas partir?
Vai ser feliz sem mim então?
E eu duvido muito você vir atrás
Duvido muito você cortar o fio
Duvido muito você ter dúvidas
Porque você é essa fivela alcatraz
Que vez por outra eu incluo
Nesse monólogo sem fim
Que muito me aperta
Mas o muito solto também não me faz bem
Temo nunca encontrar o meio termo
Que me faça te querer para sempre
Meu bem...

quarta-feira, 3 de abril de 2019

Não a culpo
Eu sempre tive consciência que eu era incapaz de ser amada
Amarga...
Enquanto uma estava lá
Doando o que não tinha
A outra só conseguia pensar em férias
Era como um balão que insistia em se apaixonar por um cacto
E eu que outrora, sentia prazer na dor
Agora ela é
Só dor
Talvez, quando você voltar
Eu nem esteja mais aqui
E isso não é uma ameaça
Talvez, até seja
Mas para mim...

quinta-feira, 21 de março de 2019

O som dos carros espirrando água
O passarinho ao longe descompassado ao som da chuva
A janela que esqueci aberta e molhou minhas coisas
A preguiça gostosa e o frio no estômago
A primeira pessoa que me peguei pensando quando acordei
A música alta enquanto a água quente toca meu corpo
A lembrança do seu sorriso
Abraço
Toque
O desejo de me perder em ti
E nunca mais querer sair daí.

sexta-feira, 1 de março de 2019

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

A chuva era forte e rápida, mas fez estragos absurdos.
Sentir-se nela deveria causar algo
Não
Não
Nada...
E então tomou um banho
As costas ardia
Aqueceu mais a água
Nada...
E então...
Só um resquício
Só isso
Porque tudo isso está acontecendo?
Porque?
E então se lembrou de ontem, logo após a escrita do poema...
Poema
Aquilo não tinha nada de belo....
Foco.
E então como em um lapso
Reviu a janela suja
O balançar monótono do ônibus lotado
A perna do velho roçando nela e ela não sabendo como se defender
E lá
As nuvens cinzas
O céu azul
Mas lá
Bem lá no fundo
O que era aquilo?
Ela apertou os olhos, e havia uma linha
Uma sutil linha rosa
Ontem aquela linha não causara nada nela
O céu era escuro demais
Denso demais
Feio demais
Agora, sentada no chão frio do seu velho quarto aquela linha a fez desabar
O choro era forte e rápido, mas fez estragos absurdos.
"Eu estou viva."

E eu que sempre fui tão boa em perdoar
Só consigo sentir que existem coisas que machucam tanto
Mas tanto
Que eu não sei se sou capaz de perdoar
E ouvir um pedido de perdão não é suficiente
Nada é
Me tornei aquele buraco negro de novo
Que suga tudo tentando se tampar
Se preencher
Acabar
Mas só aumento

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Eu já estive nesse lugar, escrevendo sobre ti
Se antes eu não sabia nem como começar
Agora eu sei muito bem o que escrever
É porque eu já estou bem acostumada com essa sensação de vazio
Dor
Perda
Nada novo
A não ser a certeza de que ser feliz é bem melhor do que ser isso que sou novamente
O céu é só azul
E o vento leva seu cheiro pra longe
Não tem nada de belo em tardes assim
E se existisse sorvete, ele seria amargo
Não como meu chocolate preferido
Mas como café amanhecido gelado
O que acontece quando se perde o encanto?
Nesses últimos 8 meses tenho me deparado frequentemente com essa sensação
Mas ela passa
A angústia passa
Hoje fica o medo
Procuro a angústia e não encontro
Procuro o medo, nada
Procuro o vazio e nem ele parece estar instalado aqui como costumeira estar.
Eu uso muito esse verbo pra uma pessoa que nunca sabe onde está
Então pode ser que ainda haja cura não é?
Pode ser que azul seja bonito também...
Eu avisei que se continuasse a me atacar esse muro iria surgir
Talvez por eu ter tido força pra diminuir ele nas outras vezes você não tenha me levado a sério...
Eu sei exatamente o que dizer
Mas não vou
Não estou afim...
Eu sei que todos dizem que amor é melhor à paixão...
Eu só fui tola em acreditar...
Você me fez acreditar
Que eu poderia ter os dois.
Mas acabou
O que fica é o sólido
O nada maleável.
Nunca desejei tanto estar errada... (A não ser quando eu sabia exatamente o que você iria dizer minutos antes de você dizer e não te interrompi)
"O que acontece quando se perde o enquanto?"
Nada.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Os poemas cada vez mais pobres, xucros e escassos
Me fazem lembrar do porque eu havia parado de escrever

Eu me sinto estranha
Eu praticamente me rasgo implorando que preciso de você aqui
E isso só te afasta mais
Se eu não faço nada
Te afasta também
É ruim demais eu sentir essa falta de ti?
A gente não deveria acreditar em promessas
Mas a gente acredita...
E olha eu
Engolindo toda essa angústia sozinha
Novamente
Aqui

Ao menos dessa vez eu sem onde estou
Mesmo sem saber onde vou parar

Sei lá

Não consigo ser forte o suficiente nem por mim
Imagina por dois

Não é que eu cuide de ti esperando ser cuidada no mesmo nível
Mas eu só esperava o mínimo de zelo
Ao menos um "está tudo bem, não sei como te ajudar, mas estou aqui e vai ficar tudo bem"
A gente sabe que não vai
Mas é bom ouvir as vezes
É só que sinto
Que quando eu afundo
Vc faz a maré ficar mais forte
Sendo que eu só queria uma corda
Tudo bem
Eu aprendo a nadar sozinha
Não deve ser tão difícil assim

De uns dias atrás

O ônibus rangia como uma velha dormente num domingo após um almoço pesado e exaustivo.
As cortinas cor de mofo balançavam involuntariamente contra o vento, acariciando as janelas gastas e frouxas.
A manhã era ensolarada, mas as nuvens se formavam no céu.
Escuras
Cinzas
Carregadas demais pra uma manhã aparentemente feliz
A menina das fitas olhava para o teto, contando quando furos eram necessários para ele cair. O óculos escuro pendia-lhe aos olhos, tapando inutilmente as lágrimas que insistiam em fugir.
Era pra gente estar feliz
Mas não somos.
Fugimos de nossa casa
E não estamos felizes.
Porque talvez não seja o lugar
Mas sim nossa própria moradia
O corpo, já exausto de procurar um saudável ar
Para fazer de lar.
O ônibus rangia como uma velha dormente num domingo após um almoço pesado e exaustivo, se eu fosse a velha, jamais desejaria acordar

Pode parecer saudade, mas não é

Que horas são afinal?
Eu ainda não consigo dormir
Novamente, não.
Tenho acordado pensando em ti
Na gente
Se é que eu pude realmente pensar assim um dia
Mas
Tenho pensado em ti
Não como uma nostalgia apaixonante misturada com desejos e euforia
Só pensado em ti
Pensado em nosso primeiro beijo
Em como foi difícil lidar com o fato de eu nunca ter conseguido escrever sobre ele
Não só sobre ele, mas sobre tantas coisas que passamos juntas.
Você é a pequena grande parte feliz da minha vida que eu só guardo pra mim, e eu nem sei o porquê te esternalizar é complicado
(Eu gosto desse complicado, antes que você entre na paranóica de que é algo ruim, se é que você vai ler isso um dia, espero que não).
Tornar nossas coisas reais nunca foi algo simples pra mim.
Foi a quase três anos atrás
Três é um bom número
Ficamos quanto tempo juntas se somarmos todos os buracos e lacunas que permitimos nos amar sem medo? Um ano e meio? Dois?
Eu sei lá
Tempo sempre teve uma forma peculiar de dançar quando eu estava contigo
Era carnaval, você ainda usa sua saia chitão verde, sua blusa de crochê vinho e sua flor abraçada com seus cachinhos coloridos? Você ainda usa seu cabelo mais longo na frente, porque cortou a muito tempo e ficou com preguiça de retocar o corte?
Você ainda reclama do tamanho dele e tenta cortar sozinha deixando por acidente ele lindamente torto?
Eu amo nossa foto
Eu não amo mais você, mas eu ainda a amo muito.
Você ainda sorri com esse mar verde antes de abrir seus pequenos dentes e tampá-los com suas mãos finas arqueando levemente o corpo?
Você tem alguém pra dar tapas quando fica sem graça por estar sendo encarada? Você ainda é encarada? Desenhada quando está desatenta em um caderno velho? O silêncio continua sendo prazeroso sem mim?
Eu raramente me permiti ficar em silêncio com alguém novamente
Não porque me lembrava você, mas porque me lembrava sua ausência.
Eu tenho pensado em ti.
Em como minha fala mudou depois que você se foi, e em como meu sorriso era diferente quando você chegou.
O dia estava quente, e você sabia que eu era afim de ti, eu te confessei bêbada na balada semanas antes daquela terça de carnaval. Você me deu uma pequena flor de crochê verde e eu a coloquei nos meus dreads.
A cidade não estava cheia, mas haviam pessoas o suficiente pra me fazer passar mal com a multidão. Minha fobia social sumia quando eu estava contigo, eu sentia que era só você e eu ali, e nossos monstros de estimação ficavam enjaulados (e eu sei que só não ficamos juntas pra sempre por causa deles, eu costumava achar que não tínhamos dado certo, a verdade é que deu tão certo que fugimos antes de dar tudo errado).
Uma dose de coragem em forma de tequila, e você me puxou pelas mãos correndo para acompanhar as marchinhas, logo nos perdemos do nosso bando, pra seguir sua banda preferida.
Era dois passos pra frente
Palmas
Pulos pra trás
Vira de mãos dadas
Sorri
Tropeços
Gargalhadas
E lá estava você me puxando pra seguir outra banda
E eu por momentos via você em câmera lenta
Dançando
Livre
Feliz
Até você me dar os tapas e me puxar pra sentar na guia da calçada
"Você não é um romance de carnaval" você me sussurrou
Minha perna estava entre aberta e você encaixou seus joelhos ali.
Me olhava nos olhos
Abaixavamos a cabeça
Tímidas
Receosas
Eu te queria tanto
Mas não sabia se você queria
E então você me chamou pelos dedos
Você sempre fazia isso
Céus
Sua mão na minha nuca
Sobressaltado meus dreads floridos por pequenas flores que você colocou neles pela cidade
E então o beijo veio
Seguido por uma chuva de confetes e serpentinas que as crianças jogaram em nós
E depois a chuva de água
Quente
Doce
E foi exatamente por isso que eu nunca consegui escrever sobre nós
Eu simplesmente não consigo trazer pro real toda a beleza que conheci sobre mundo em apenas alguns minutos...
E depois naquela chuva, por horas
E nas semanas posteriores
Por meses...
Tenho pensado em ti
Não como uma nostalgia apaixonante misturada com desejos e euforia
Só pensado em ti
E eu não me arrependo de nada da minha história contigo
Não mais
Tenho pensado muito em ti
E é muito bom não achar nenhuma cobrança sobre se você ainda pensa em mim
Eu gosto das coisas assim.
E isso
Isso não muda.
E dentre todos os nãos que tivemos, vivemos os mais lindos sim.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Já ficou freneticamente olhando o celular, sabendo que a mensagem nunca iria chegar?
E então você escreve, apaga, reescreve, apaga... E começa a se perguntar porque é tão mais fácil pras pessoas sumirem do que pra você se desprender?
E enquanto você chora
Se mutila
Surta
E encara os remédios perguntando se deve ou não dar um jeito nisso
Essa pessoa deve estar rindo com alguém e seguindo a diante em algum lugar...
Metendo o foda-se pra sua instabilidade
Afinal
Se nem eu aguento habitar em mim
Porque alguém deveria aguentar

E se a singelez da margarida for melhor que a sedução da rosa? (Frase Rodrigo; Desenho Maria Luiza

E se a singelez da margarida for melhor que a sedução da rosa? (Frase Rodrigo; Desenho Maria Luiza
Clique na imagem e conheça meu diário de sonhos